quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

You know what they say about romance

Juntei o querer ao ter, desenhei a vida que queria ter no teu peito, projectei o segredo de te prender no meu beijo.
Nada antevi, a previsão nasceu gelada por anos de Verão mal vividos, cresceu gerada por noites de Inverno incrivelmente bem passadas. A mudança essa tomou-me de assalto sem que a conseguisse acompanhar, e o vento arrastou-me facilmente para perto de ti.
Entre o calor e o frio escolho aquele que mais se aproxima da tua respiração, do canto que não é mais que teu, do cheiro que não pode ser mais que meu.
Regressei ao ponto de partida, olhei para ele, tudo tinha mudado. Nada fazia tanto sentido como agora.
Via-te lá longe, presenteavas-me com um aceno, e eu não era mais que um aperto no coração, um ânsia voraz capaz de consumir cada bocado teu, e tu sorrias alegremente, indiferente, mordaz, sabendo que te queria, que te tentava enlear numa teia que serias incapaz de tecer.
A seda essa toca-te a pele, cheira a jasmim. É nela que me perco, entregue a ti ao teu singelo querer, ao teu olhar...

Inspiro-te, Quero-te...expiro, e percebo a falta que me fazes...

1 comentário:

misskitsch disse...

Só te digo (mais uma vez) uma coisa: esgroviado!

And this sums it all up! - bonito.